quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

UM SONETO DE ARTHUR RIMBAULD






http://img385.imageshack.us/img385/3990/20070708234121deadgermapo6.jpg


'LE DORMEUR DU VAL'

Arthur Rimbaud (1845-1891)



C'est un trou de verdure où chante une rivière,
Accrochant follement aux herbes des haillons
D'argent; où le soleil, de la montagne fière,
Luit: c'est un petit val qui mousse de rayons.

Un soldat jeune, bouche ouverte, tête nue,
Et la nuque baignant dans le frais cresson bleu,
Dort; il est étendu dans l'herbe, sous la nue,
Pâle dans son lit vert où la lumière pleut.

Les pieds dans les glaïeuls, il dort. Souriant comme
Sourirait un enfant malade, il fait un somme:
Nature, berce-le chaudement: il a froid.

Les parfums ne font pas frissonner sa narine;
Il dort dans le soleil, la main sur sa poitrine,
Tranquille. Il a deux trous rouges au côté droit.


........................................................................................


Dormindo no Vale

Arthur Rimbaud (Poeta francês,1845-1891)


É um prado verdejante onde, a cantar, um rio 
arrasta alegremente as ervas desprendidas,
prateadas pelo sol que a montanha no estio
espraia, à espuma de suas vagas repetidas.

Jovem soldado, à boca um sussurro contido,
descoberta a cabeça na relva molhada,
de olhos abertos, dorme. Seu corpo estendido
expõe-se como um tronco à abóbada azulada.

Agasalham-lhe os pés roxos lírios de outono.
Parece que sorri – frágil infante em sono.
Aquece-o, Natureza, no seu frio leito!

Não mais pode aspirar do vale os bons olores.
Dorme. E a dextra no peito, já livre das dores,
cobre dois rubros furos do lado direito. 

Tradução de Sergio de Sersank

.......................................................................................................................

OUTRAS TRADUÇÕES


Adormecido no Vale

Arthur Rimbaud (Poeta francês – 1845-1891)

É uma clareira verde, onde canta um riacho
prendendo alegremente às ervas seus farrapos
prateados; onde o sol da orgulhosa montanha
brilha. É um valezinho a espumar claridades.

Um jovem soldado, a boca aberta e a cabeça
descoberta a molhar-se na erva fresca, azul,
dorme; está estirado ao chão, a céu aberto,
pálido, no seu leito verde, à luz que chora.

Os pés nos lírios roxos, dorme. E sorri como
sorriria uma criança enferma, em sono leve.
Natureza, aconhega-o bem: ele tem frio!

Os perfumes não mais lhe excitam as narinas;
dorme ao sol; tem a mão abandonada ao peito;
dois rubros orifícios sangram-lhe à direita...


Tradução de J.G. de Araújo Jorge

.......................................................................................................................


'ADORMECIDO NO VALE'


É um vão de verdura onde um riacho canta
A espalhar pelas ervas farrapos de prata
Como se delirasse, e o sol da montanha
Num espumar de raios seu clarão desata.

Jovem soldado, boca aberta, a testa nua,
Banhando a nuca em frescas águas azuis,
Dorme estendido e ali sobre a relva flutua,
Frágil, no leito verde onde chove luz.

Com os pés entre os lírios, sorri mansamente
Como sorri no sono um menino doente.
Embala-o, natureza, aquece-o, ele tem frio.

E já não sente o odor das flores, o macio
Da relva. Adormecido, a mão sobre o peito,
tem dois furos vermelhos do lado direito.


Tradução de Ferreira Gullar






Postar um comentário

Adquira o seu exemplar

Adquira o seu exemplar
livro.estadodeespirito@gmail.com

COMENTÁRIO DE ISABEL FURINI, laureada poeta e escritora sobre a obra poética "Estado de Espírito"

http://www.icnews.com.br/2013.03.05/negocios/livros-de-negocios/estado-poetico-de-espirito/

Pesquisar este blog

HINO OFICIAL DE LUIZ ANTONIO

Letra: Sersank (Sergio S. Cunha)
Música: Irineu Santa Catarina


Clique para ouvir

https://www.youtube.com/watch?v=FmWSt6RqGs4

BEBO PAROLAS EN ESPERANTO

ESPERANTO: La solvo (A solução)

ESPERANTO: La solvo (A solução)

VEJAM O ÁLBUM DA POETA ENIDE SANTOS

https://www.facebook.com/media/set/?set=a.328048557298805.1073741827.100002809917747&type=3

Veja aqui a NOTA da Prefeitura Municipal de Londrina sobre o lançamento doLivro de SERSANK

http://www.londrina.pr.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=17367:sergio-sesank-lanca-estado-de-espirito&catid=88:cultura&Itemid=975

EL VIAJE DEFINITIVO - Poema de Juan Ramon Jimenez