terça-feira, 30 de março de 2010

O RESTAURADOR










Na tela sempre fresca da janela
que o prende a um tempo e lugar,
há colibris nos canteiros
e flores que, findo o dia,
agrada-lhe cultivar.

Quase nunca queda a vê-los.
Nem sente o tempo a passar.
Move-se a crer que haja coisas
que se possa eternizar...

Como ao baú de Pandora
pudesse as depositar,
restaura, serenamente,
uma e outra, obra sem par:
restos de vidas dispersas,
suas fragrâncias no ar.

Paciente, serenamente,
ouve do tempo o rumor.
Só ele sabe o que sente,
no enlevo de seu labor,
o que lobriga, ao curvar-se,
no jardim, emurchecida,
sua mais recente flor.


 
(Do livro "Estado de espírito", de Sersank)
(Os direitos autorais do livro "Estado de espírito" estão registrados na Fundação Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro (Ministério da Cultura), sob o nº 366.196, Livro 677, Folha 356)
(Proibida a reprodução de qualquer fragmento, sem citação da fonte e autorização do autor)

4 comentários:

Sersank Kojn disse...

De minha prezada amiga Dora Dimolitsas, transcrevo essas gentís palavras que postou em 31/03/2010, em meu orkut:

Boa tarde, meu amigo Sersank.
Sim, realmente seu trabalho no Blog
é muito bom.
Os poemas são de grande qualidade.
Considero que o poeta tem um compromisso com o social e falar do seu trabalho é uma forma de reconhecimento e incentivo.
Obrigado por seus depoimentos, quando vem em meu orkut
comentar sobre meu trabalho e falar do seu.
Não consegui deixar depoimento no seu blog.
um abraço,
Dora

Sersank Kojn disse...

De mia kara samideano VAGNERO

(http://twitter.com/vagnero_tero)

mi transsbribas siajn simpatiajn, jenajn vortojn:

"Gratulon! Via Blogo estas tre bona!" Vagnero.

Koran dankon, amigo!

Meu Toque disse...

É o meu preferido, já o li por varias vezes, já li várias vezes procurando palavras para comentar, lindo de mais FASCÍNIO o que posso dizer.

Sergio de Sersank disse...

Obrigado, Enide.

Retribuo a gentileza do seu comentário com estes versos do nosso inesquecível Drummond de Andrade:

Memória

Amar o perdido
deixa confundido
este coração.

Nada pode o olvido
contra o sem sentido
apelo do Não.

As coisas tangíveis
tornam-se insensíveis
à palma da mão

Mas as coisas findas
muito mais que lindas,
essas ficarão.

Adquira o seu exemplar

Adquira o seu exemplar
livro.estadodeespirito@gmail.com

COMENTÁRIO DE ISABEL FURINI, laureada poeta e escritora sobre a obra poética "Estado de Espírito"

http://www.icnews.com.br/2013.03.05/negocios/livros-de-negocios/estado-poetico-de-espirito/

Pesquisar este blog

HINO OFICIAL DE LUIZ ANTONIO

Letra: Sersank (Sergio S. Cunha)
Música: Irineu Santa Catarina


Clique para ouvir

https://www.youtube.com/watch?v=FmWSt6RqGs4

BEBO PAROLAS EN ESPERANTO

ESPERANTO: La solvo (A solução)

ESPERANTO: La solvo (A solução)

Veja aqui a NOTA da Prefeitura Municipal de Londrina sobre o lançamento doLivro de SERSANK

http://www.londrina.pr.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=17367:sergio-sesank-lanca-estado-de-espirito&catid=88:cultura&Itemid=975

EL VIAJE DEFINITIVO - Poema de Juan Ramon Jimenez